fbpx

Em seu excelente livro, O Poder Oculto da Oração e do Jejum (The Hidden Power of Prayer and Fasting) Mahesh Chavda conta uma das histórias mais emocionantes sobre tocar uma criança defeituosa por meio da oração e do jejum. Esta história é outro exemplo do poder do jejum e da oração para libertar cativos do poder das trevas. Na época, Mahesh trabalhava em um hospital para crianças com deficiência mental em Lubbock, Texas.

“Nunca esquecerei o dia em que conheci um garoto de 16 anos, a quem chamarei de “Stevie”. Stevie foi vítima da Síndrome de Down, uma forma moderada e grave de retardo mental, geralmente caracterizada por capacidade mental reduzida e certas deformidades físicas. Steve estava aflito com algo ainda pior. Ele era um auto-mutilador que era levado a gritar e a bater na propria cara constantemente.

O psicólogo da escola obteve permissão das autoridades estaduais em Austin, Texas, para administrar terapia de choque elétrico a Stevie por um período de seis meses … administrando choques elétricos sempre que se batia. Ele ficou cada vez pior em vez de melhor. Quando eu estava lá, seu rosto parecia pele de jacaré seca, porque ele se esbofeteava continuamente.

Finalmente, os atendentes amarraram as mãos de Stevie em talas para que ele não pudesse dobrar os braços para alcançar seu rosto. O único problema era que as outras crianças em sua ala do dormitório desenvolveram um novo jogo quando descobriram que as mãos de Stevie estavam presas ao seu lado. Eles gostavam de correr atrás dele e empurrá-lo com tanta força que ele perderia o equilíbrio e cairia. Como Stevie não podia mais instintivamente proteger seu rosto com os braços por causa das talas, toda vez que as crianças da enfermaria jogavam seu jogo e o empurravam, Stevie aterrissava de bruços no chão sem nenhuma maneira de se proteger ou suavizar a queda . Na maioria das vezes nós o encontramos com sangue escorrendo do nariz, lábios e boca. Sempre que eu vinha, Stevie podia sentir o amor de Deus vindo de mim e ele colocava a cabeça no meu ombro e apenas chorava.

Finalmente eu disse: “Senhor, Tu me disseste que me enviaste aqui para amar essas crianças. Qual é a resposta para Stevie? Muito claramente, ouvi a voz do Espírito Santo dizer: “Esse tipo de coisa não se manifesta, a não ser pela oração e pelo jejum”. Embora possa ser uma escritura muito familiar para você, ela me pareceu totalmente estranha. Eu freqüentava uma universidade bíblica por quatro anos e obtinha meu diploma de bacharel lá, mas nem sabia que o Espírito estava citando uma passagem das escrituras de Mateus 17:21 para mim!

Outra coisa que não aprendi durante meus quatro anos de treinamento na escola bíblica foi o assunto do jejum. Eu disse: “Jejuar – isso não significa comida e água?” Então, eu não comi e não bebi água ou Coca-Cola ou qualquer outra coisa. Também não sabia que, quando você ficar sem água, suas prioridades mudarão. No terceiro dia do meu jejum sem água, comecei a sentir inveja toda vez que ouvia alguém lavando as mãos na pia do banheiro!

No quarto dia, o Senhor falou comigo e disse: “Você pode beber”, então comecei a beber água. Mas eu não quebrei o jejum até o décimo quarto dia e o Senhor disse: “Agora ore por Stevie”. Quando cheguei para o meu turno na escola naquele dia, levei Stevie ao meu pequeno cubículo de escritório e disse: “Stevie, sei que sua mente pode não entender o que estou dizendo, mas seu espírito é eterno. Quero lhe dizer que sou um servo do Senhor Jesus Cristo. Eu vim para pregar boas notícias para você. Quero que saiba que Jesus Cristo veio para libertar os cativos.”

Então eu disse: “Em nome de Jesus, seu espírito maligno de mutilação, você o deixa ir agora em nome de Jesus”. De repente, o corpo de Stevie foi arremessado cerca de dois metros e bateu na outra parede do cubículo! Quando Stevie bateu na parede, seu corpo estava elevado cerca de um metro acima do chão, e então ele deslizou para o chão e soltou um longo suspiro. Imediatamente, senti um cheiro incrivelmente sujo de ovos podres e queima de enxofre no quarto, que gradualmente desapareceu.

Eu rapidamente fui para Stevie, aninhei-o em meus braços e tirei suas talas enquanto ele observava com os olhos arregalados. Então Stevie começou a dobrar os braços e gentilmente sentir seu rosto. Eu o observei tocar suavemente seus olhos, nariz e ouvidos; então ele começou a soluçar. Ele havia percebido que, pela primeira vez, não estava sendo levado a se bater. Ele estava tocando seu rosto gentilmente e fora liberto! Naquele momento inesquecível, o Senhor me revelou que arma poderosa ele nos deu para derrubar fortalezas e libertar os cativos. Dentro de alguns meses, todas as crostas caíram do rosto de Stevie. Ele começou a se curar porque havia parado de se bater.

Pin It on Pinterest

Share This